po(e)st(ma)s

nada de mais. por mais pretensioso que isso possa parecer...

29.11.06

“clic”

lenta,

a língua traça
o torpor da noite

percorre
silêncios e linhas
na ponta dos sentidos

saliva afiada
que revela o ácido
dos contornos

e o tépido
dos escuros
no hálito
do corpo

prelúdio úmido
de um eterno
quase

quando a língua
acende
e a luz não falha

17.11.06

“experiência mística”

(da série 'gaveta de guardados')



nunca entendi
deus
nem sei
se deveria

hoje
meu subconsciente
freudiano
me soprou
uma resposta
na forma
de um
anagrama imperfeito

estou
ao mesmo
tempo
contido e negado
no conceito
de algo
inconcebível

deus = des-eu